FANS DO TURCA

quarta-feira, 25 de abril de 2012

EXECUTIVO JORDY E SUA BENEVOLÊNCIA.

Eu ainda era um garoto quando recebi uma proposta para assumir minha primeira equipe.
Um Executivo de nível médio na época, mas politicamente muito bem relacionado me fez a proposta que prontamente aceitei.
Nos bastidores da Companhia ele era conhecido como Jordy em alusão ao Francesinho Irritante do início da década de noventa .

Meu salário já não era bom e não demorou muito para eu perceber que teria que trabalhar 20 horas a mais no mês e não ganharia NADA por isso além da pressão aumentar consideravelmente.
Ele não entendia absolutamente nada do negócio e também não fazia questão pois foi obrigado a assumir essa posição na menor empresa do grupo para dar lugar a uma Executiva que era protegida do Presidente.
Assim sendo, ele era facilmente enrolado pelos gestores mais Malandros e foi nessa ápoca que ocorreram os primeiros e maiores casos de sacanagens, roubalheira e golpes que ajudaram muito no encerramento das operações dessa empresa alguns poucos anos depois. Todos episódios que a excelente área de Auditoria não conseguiu pegar.
Lembro-me com alegria de quando ele me prometeu um aumento e uma excelente avaliação por conta das minhas entregas .
Lembro-me com mais alegria ainda o fato dessas promessas NUNCA terem sido cumpridas.
Não demorou muito para ele retornar para uma posição de mais respeito na empresa e deixar a cadeira para outro Idiota . Na verdade UMA idiota que sofreu como um cachorro herdando todas as cagadas que ele deixou pra trás.
Alguns anos se passaram e ele agora já muito melhor colocado especializava-se cada vez mais em fazer Lobby com os principais executivos da empresa.
Mesmo depois de uma enorme reformulação que eliminou dezenas de executivos do quadro, ele continuou e ganhou mais poder e notoriedade.
Neste meio tempo já sem o menor tesão em continuar naquela empresa , resolvi  finalmente me desligar da mesma e ir para outra do mesmo grupo econômico.
Só no momento do meu desligamento descobri que na atividade que eu desempenhava  eu só deveria trabalhar 6 horas por dia.
Mas nos últimos 9 anos eu vinha trabalhando 8 horas como qualquer pessoa naquela empresa.
Com o Objetivo de reduzir os prejuízos com ações trabalhistas a própria empresa já oferecia uma proposta de acordo com seus colaboradores recém desligados oferecendo 50% do valor a ser recebido com essas horas chamadas de 7ª e 8º.
Particularmente eu precisava muito desse valor para terminar uma construção que há anos vinha patinando para conseguir.
No Próprio Sindicato em conversa com o Advogado da Empresa, fiz o pedido deste acordo.
Ou seja, estava me submentendo a PERDER 50% do valor devido para ter minimamente condições de terminar minha casa.
Lembrando que este procedimento é de iniciativa da PRÓPRIA EMPRESA.
Pois bem, um belo dia na estrada indo para Mogi das Cruzes recebo uma ligação do meu Gestor já na outra empresa me interpelando sobre uma AÇÃO TRABALHISTA que eu havia movido contra a empresa Sócia da qual eu na época era contratado.
Calmamente encostei  em um Posto de Gasolina e Expliquei que NÃO SE TRATAVA DE AÇÃO TRABALHISTA e dei todos os detalhes do caso.
Do outro lado, pouco interessado na questão, meu Gestor notando que a história daria trabalho para explicar ao Diretor Executivo disse me  que o mesmo tinha recebido uma Ligação do Jordy especialmente para dizer a ele que eu tinha acionado a Sócia da empresa na Justiça.
A partir daí começou uma corrida contra o tempo, era uma sexta feira e eu tinha até segunda para explicar o que tinha acontecido antes de me mandarem embora.
Foi uma pressão desgraçada, quanto mais eu explicava ao Meu Gestor, menos interesse ele tinha em entender. Chegou até a pedir que eu retirasse o pedido do Acordo prontamente negado por mim.
Evidente que eu sabia que havia o risco do acordo não ser aceito. Afinal de contas eu ainda estava em uma empresa do grupo, mas eu não tinha absolutamente nada a perder.
No dia de receber a resposta da empresa a Advogada deles me informou que a proposta estava pronta e aprovada até que um executivo da Empresa telefonou ao setor informado que não poderiam me fazer uma proposta de acordo uma vez que eu estava em uma empresa do grupo . Desta forma o risco de eu entrar com uma Ação trabalhista contra eles seria mínimo.
Enfim, o Acordo foi negado e a Advogada relevou que foi Jordy o autor da comunicação.
O Valor que eu receberia era irrisório comparado ao que pessoas do nível dele recebem de Bônus por semestre. Mas para mim , receber 50% daquilo que deveria resolveria minha vida.
Muito bem, enquanto isso, na empresa, precisei de um horário com o Departamento Jurídico que me tranquilizou dizendo que minha atitude em NADA complicaria minha situação e que era tratativa normal perante eles. Um email foi enviado ao meu Diretor para apaziguar as coisas.
Mas aquele assunto estava engasgado na minha garganta. Eu sempre fui muitíssimo grato àquela empresa por todo o aprendizado , amizades e realizações pessoais  que me proporcionaram. Porém a atitude daquele Executivo me enojava e não conseguia assimilar e engolir.
O sonho da minha vida valia para ele uma ligação de 1 minuto e 7 segundos para intensificar seus procedimentos de Lobby.
Minha história de 9 anos na empresa serviram de pretexto para uma ligação para tratarem de amenidades. Mais desesperado eu ficava quando chegava à conclusão que ele faria isso com qualquer um. A questão não era pessoal e sim Oportunista.
Alguns meses se passaram e as voltas da vida me proporcionaram revisitar essa questão .
E agora, resumindo bem a história o prejuízo que eles teriam há um ano atrás com aquele acordo aumentou um pouquinho .
Hoje eu agradeço àquele Imbecil e Benevolente homem  por  ter tomado uma atitude que levou a empresa dele a ter um prejuízo 260% maior que há um ano atrás.
Caro Jordy, continue  sua saga por Poder e abuse das FALSAS PROMESSAS e antes que me esqueça...
 ... vai Pra PUTA QUE PARIU profissional Coxa Creme do Caralho.

 $$O TURCA$$

Ocorreu um erro neste gadget