FANS DO TURCA

domingo, 26 de julho de 2009

MEMÓRIAS DO TURCA - Meritocracia Inquestionável.

Nas empresas com foco em resultados e sempre preocupadas com a qualidade de vida de seus funcionários, nós podemos sempre escutar histórias de sucesso profissional que normalmente somente encontramos nas revistas, cinema ou livros.

Eu tive a alegria de presenciar a história de uma antiga parceira de trabalho que em 1 ano foi promovida três vezes, duas pela mesma chefe!

Ela tinha um corpo escultural em formato de monte Everest e sua pele tinha muitas erupções cutâneas , mas sua característica principal eram seus pezinhos de Bicho Preguiça.


Uma belíssima profissional muito bem conceituada por seus gestores.

Sua principal qualidade era “Fritar” os pares, expondo-os aos superiores e levantando os podres de cada um.

Conseguiu notoriedade ao longo deste período e era uma pessoa muito querida.

A empresa que ela trabalhava, uma grande financeira que existia no país era muito organizada e ágil, demorou apenas 45 anos para verificar no detalhe as despesas de cada uma de suas unidades.

O Diretor da época um renomado especialista do mundo de aluguéis de Dvds para locação, foi contratado para tomar conta de 200 unidades especializadas em empréstimo pessoal e decidiu verificar a linha de despesas com táxi de suas lojas.



E foi mais ou menos assim:

1º R$ 200,00
2º R$ 350,00
3º R$ 275,00
4º R$ 35.245,00
5º R$ 320,00
6º R$ 210,00

Diretor: O QUÊEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE! Volta no 4º.

Qual não foi minha surpresa que a 4ª era justamente minha amiga pés de Bicho Preguiça. Pegou um táxi de São Paulo a Nova Zelândia e voltou 3 vezes.

O Castelinho caiu, a Chefae ficou com cara de Brioco violado e os demais riram até perderem toda a sensibilidade das bochechas.

Foi limada, por justa causa, colocou a empresa no “PAU” e misteriosamente apareceu com uma ECOSPORT ZERO KM

Depois deste episódio a Chefe aprovava de compra de papel higiênico a lápis borracha!

Sinto saudade de conversar com minha amiga Maníaca do Táxi, ela tinha uma bela cultura, não sabia quem era KING KONG, em seu vocabulário todas as frases apresentavam citações a órgãos masculinos e alguns amigos a utilizavam como moeda de troca para casas de Swing.

Um verdadeiro Dólar furado!


Fim de Papo.

Agradeço ao Mestre Renô pela lembrança e sugestão deste emocionado Texto.



O TURCA

MEMÓRIAS DO TURCA: Trajes de Gala nos aeroportos.


Eu me lembro que até uns 7 anos atrás, viajar de avião era praticamente inconcebível para os pobres ou até mesma para a classe média.

Eu mesmo quando viajei pela primeira vez quase chorei de alegria e de desespero.

Hoje em dia com as crescentes promoções e concorrência acirrada entre as POUCAS companhias que temos, viajar de avião ficou mais real e possível para uma grande fatia da população que jamais imaginou que um dia isso seria possível.

Com todo crescimento sem estrutura, começaram as crises aéreas e afins. Assunto bastante relatado em meus primeiros textos neste blog.

Enfim, em minhas várias viagens mensais, não pude deixar de notar o maravilhoso desfile de moda dentro dos aeroportos.

Eu me lembro do tempo que não é tão distante assim, que as pessoas colocavam seus melhores trajes para viajar. Até mesmo de ônibus.

Não sei oque aconteceu, mas ultimamente sinto-me no SHOW DE HORRORES.

Vou relatar algumas das Barbaridades que mais me enojam , começando da mais leve para a mais pesada, aquela que me faz vomitar cacos de vidro e pedaços de madeira podre.

1 – Camiseta regata e Bermuda: Cidadão parece que saiu direto da praia para o avião.
Fica com aquele sovaco peludo encostando-se na poltrona e nas pessoas. Um verdadeiro Puto.

2 – Cabelo de óleo: Algumas garotas aparecem com aquele cabelo em que é possível extrair óleo vegetal para fritar um ovo. Elas encostam a cabecinha na lateral do avião e quando levantam fica um lado amassado e o outro normal. Linda!

3 – Perfume de Gardênia:
Tem aquelas coroas que não tomam banho há 6 anos e se banham com aquele perfume de 1943. Seu estômago dá três nós e você tem vontade de enfiar uma faca no olho.

O Melhor de todos, aquele que me dá vontade de pegar um ralador de queijo e ralar minha cara inteira até a hora que ficarem os ossos da minha face em evidência.

4 – Chinelinho de dedo com pé sujo: É um pavor, horrendo e enojante. Homens e mulheres com aquelas havaianas ou coisa pior, aquelas unhas de bicho preguiça velho que tem aquelas ranhuras na ponta e são amareladas.
O Calcanhar mais rachado que o solo do sertão nordestino e entre os dedos coisas que se parecem com verduras. Devem ser fungos.
Não foi apenas uma vez que vi esta cena. Foram várias.
Se um Ser Humano é assim em uma viajem, imagina em casa. Aliás, imaginem a casa do desgraçado ou desgraçada.

Como diria minha avó! É O FIM DOS TEMPOS.

Fim de Papo.

O TURCA.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

PAGUE PARA ENTRAR E REZE PARA SAIR.


Fui convidado por uma amiga do trabalho para ir a uma festa no último sábado em uma casa noturna em São Paulo conhecida por tocar músicas dos anos 80.

Lógico que agora após os 30 anos, este tipo de entretenimento acaba me interessando.

Esta casa noturna tem duas unidades e eu já tinha freqüentado uma delas e tinha gostado.

O único problema é que o convite era para a outra unidade localizada no centro de São Paulo.

A região é reconhecidamente freqüentada por pessoas alegres que gostam de brincar com seus bumbuns ou fazer colagens com velcro.

Refleti bastante, criei coragem e resolvi ir para conhecer o Chamado mundo GLS.

Enquanto eu estava na fila da casa noturna fiquei observando a casa noturna da frente.

Uma fila gigantesca estava formada do lado de forma.

Até aí normal, a única peculiaridade é que a fila inteira era de homens. Eram mais de 200 homens.

De todos os tipos, velhos novos, gordos, magros, pretos ou japoneses.

Alguns de mãos dadas outros já se pegando na porta do local.

O nome da festa que estava acontecendo lá era dedicada aos chamados URSOS, vejam a propaganda abaixo.

Eu não me esqueço da cena de um Gordo de um metro e oitenta, negro de mão dada com um japonesinho bombadinho de academia.

Eu já comecei a ficar num desespero desgraçado.

Na porta da casa que eu estava, uma placa informava :



Respirei fundo e entrei.

A casa tinha dois ambientes.

A Pista era pequena e havia um mezanino maior.

Fiquei na pista até umas duas e meia da manhã. E até lá não tinha visto nenhuma barbaridade além de alguns viadinhos rebolando.

Foi a única casa noturna que quando o DJ gritou :

Quem é São Paulino aí ??


A Casa quase caiu !

Bem, minha amiga chegou e a pista estava insuportável de apertada.
Resolvemos subir ao mezanino para escapar.

Foi uma tragédia.


O Ambiente era escuro demais e por volta das três da manhã a cobra começou a fumar.

Meu Deus, ali não tinha anjo da guarda do lado de ninguém. O Meu deve ter ido lá para Maceió.

Parecia uma festa do Calígula, ninguém era de ninguém, homem com homem, velho com novo, preto com anão, japonês com gigante, mulher com velha, velha com ninfeta. Uma promiscuidade dos Infernos.

Eu já estava quase me jogando de lá quando por volta das quatro ouvi dois rapazes atrás de mim iniciando uma conversa.

Quando eu virei para ver quem era, já estavam se pegando.

Estavam se pegando aos beijos com mordidinhas na orelha e carinho no cabelinho.

Os caras eram jovens e poderiam sair com as mulheres que quisessem.

Enquanto isso o papai deve estar em casa contando para os amigos que o filho é um tremendo pegador.

À minha direita uma salinha fechada com uma cortininha preta e lá dentro devia estar acontecendo Barbáries. Era um entra e sai desgraçado.

Esse foi o golpe de misericórdia, sai de lá correndo com meus olhos derretidos pela fumaça de cigarro e meu pulmão fumegante cheio de cinzas.

Agradeço à minha amiga Sol pelo excelente convite. Conheci um local maravilhoso que não passo nem na frente nunca mais na minha vida
Só serviu para tema deste magnífico texto para o BLOG.

Bicharada do Caralho !!!

Fim de Papo.

O TURCA.

O TURCA E A CACHOEIRA DE BARATAS !

Certa vez meu pai apareceu em casa com uma maravilhosa notícia.
Tinha acabado de comprar um automóvel.

Naquela idade os pais de todos meus amigos tinham carros novos era uma tremenda competição para saber qual o pai que tinha o melhor carro.

Meu pai, um homem bastante ganancioso, sempre fez questão de ter os piores carros do Bairro.

Cada vez que ele trocava de carro eu ficava apavorado pois, para ele, pior não tinha limites.

Foi quando ele me apareceu com um carro que eu NUNCA tinha ouvido falar.

Um DODGE Polara velho que Deus me livre. Obrigado Pai.



Eu não sei onde ele foi achar aquela desgraça. Eu estava desesperado pra que ninguém visse aquela tragédia.

Meus vizinhos viram, mas tiveram a dignidade de me poupar das risadas. Pelo menos na minha frente.

Ainda extremamente feliz pela nova aquisição da família, certa noite, meu pai me aborda e pede que eu vá até o carro e jogue um pouco de veneno no mesmo.

Sem entender ao certo, perguntei o motivo e meu pai disse que tinha avistado uma pequenina barata andando pelo assoalho do carro.

Há muitas coisas que me dão vontade de me jogar de um prédio ou de amarrar uma corda de nylon no lustre e me enforcar.

Dentre elas estão o Time do São Paulo, Meritocracia Inquestionável e em primeiríssimo lugar as Baratas, especialmente as voadoras.

Não tenho problemas com ratos, cobras, morcegos, aranhas ou pombos, mas as baratas realmente me deixam desesperado.

Isso se deu quando ainda criança tinha que conviver com os chiliques da minha mãe cada vez que via uma rastejante e lógico que cresci com a mesma Fobia. Obrigado Mãe.

Diante daquele pedido do meu pai já fiquei tenso.

Estava com um frio na espinha desgraçado, mas criei coragem quando disse que era apenas uma “ PEQUENINA e INFIMA filhote de barata anã “.

Mesmo assim, coloquei meu uniforme que consistia em uma camisa transformada em máscara para não inalar o veneno, uma bermuda e um chinelo.

Peguei minha arma, uma Bomba de Fritz, carregada do produto nuclear capaz de matar uma população inteira de Baratas.


Fui até a garagem e comecei a matança.

Totalmente despreocupado com a PEQUENINA barata, mandei bala no carro inteiro.
Foi veneno no painel, câmbio, bancos, carpete, teto, motor, rodas, pedais e por último resolvi jogar no porta malas.

Abri o porta malas, joguei o que faltava do veneno.
Nessa altura eu já estava vomitando sangue com o cheiro do veneno.

Estava tudo indo bem até que pelo rabo do olho percebo algo no chão do meu lado direito.

E não era pequeno.
E não estava morto.


Era uma linda barata adulta e sadia.

Fiquei congelado e já ameacei fugir de lá. Porém a distância que ela estava era razoável para que eu fizesse isso com calma.

O que eu não contava é que em meus pés já haviam mais 5 delas e sem parar uma atrás de outra iam caindo do carro do meu pai que tinha o assoalho todo furado como um queijo.

Era uma cachoeira de baratas assassinas africanas.

Sai de lá desesperado e gritando para a rua com aquele figurino que relatei. Uma vizinha levemente gostosa que era a fim de dar pra mim tomou um susto desgraçado pois eu estava parecendo um Terrorista misturado com mendigo fedendo veneno.

Era Barata pra todo lado.

Entrei correndo em casa e fechei todas as portas e janelas com o coração na mão !

No dia seguinte meu quintal estava forrado de baratas mortas. Parecia o massacre da Candelária ou a guerra do Vietnã.

Nunca mais entrei naquele carro amaldiçoado e continuo com horror a Baratas até hoje.

Bicho do Capeta !

Fim de Papo.

O TURCA.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

EU AMO RADARES DE TRÂNSITO.


Já faz algum tempo que coloco me a pensar que neste país com tantos dos grupos de extermínio, justiceiros e matadores de aluguel, seria SHOW se tivéssemos um grupo de extermínio de radares.
Vamos explicar, “radares" de trânsito podem ser chamados de “PARDAL" em outros estados, mas a funcionalidade é a mesma, abastecer o caixa da máfia das multas do país. Existem os fixos e os móveis.

Os que me incomodam mesmo são os móveis. São pequenas caixas pretas, muito parecidas com aquelas máquinas de tirar fotografia dos anos 40.

Sempre há uma dupla de Marginais que fica guardando o equipamento o tempo todo e tem a obrigação de escondê-los atrás de árvores, postes ou qualquer outra coisa que torne sua visibilidade impossível.

Na primeira semana em que comecei a trabalhar na cidade de Diadema na grande SP, todos os dias em que chegava em casa, achava um boleto com uma multa de radar móvel. Houve dias que não voltei pra casa para não encontrar mais novidades.

Não há chance de você ir a Diadema ou Santo André sem voltar com uma multa. Esqueça, você está ferrado .
Quantas e quantas vezes me imaginei sendo o justiceiro. Vestido com uma roupa e capuz negro na calada da noite munido de um machado. Eu destruía TODOS os equipamentos com requintes de crueldade.

Posteriormente percebi que com um machado seria fácil minha captura, pois estaria a pé.
Então, resolvei imaginar-me na cobertura dos prédios da região com um calibre 12 e de lá eu daria um ou dois tiros certeiros bem no meio da máquina, com um pouco de sorte os estilhaços atingiriam a face dos guardiões.

Hoje passei por um radar móvel em 4 km e fiz questão de mostrar meu dedo médio para o indivíduo que lá estava, aliás, mostro meu dedo médio TODAS as vezes que passo por um agente de trânsito, também conhecido como marronzinho ou simplesmente “Filho da Puta”.

Fim de Papo.
O TURCA

PAPAGAIO DE AUDITOR.

Papagaio de pirata é um termo usado na televisão brasileira para designar cidadãos que procuram ficar localizados atrás de jornalistas, quando os mesmos estão fazendo uma matéria, com o objetivo de aparecer paras as câmeras. Estas pessoas nada recebem por sua participação, fazendo isso como um hobby e com o objetivo de ganhar alguma fama. O termo surgiu por suas cabeças ficarem na altura do ombro das personagens ativas das entrevistas, assim como ficam os papagaios junto de piratas de acordo com os contos.
Fonte : Wikipedia

Eram tempos de crise, estávamos apavorados com o destino de nossos empregos.
A empresa não ia bem. As vendas cairam uma barbaridade, ninguém mais ganhava prêmio, batia meta ou era promovido.
Olhavam para nós como se fossemos marginais “ Mendigos de Gravata”.
Neste momento difícil era um verdadeiro salve-se quem puder.
Seu tapete poderia ser puxado por seu melhor amigo a qualquer momento, ninguém confiava em mais ninguém .

Era tudo ou nada para se segurar na cadeira ou pior, para conseguir mudar de cadeira.
A alta diretoria sem saber oque fazer e ciente que um mar de corrupção envolvia a área comercial, enviou os emissários do Apocalipse Corporativos conhecidos como Auditores.

Os auditores são figuras odiadas por terem como objeto de seu sucesso a necessidade de “ Foder “ alguém ou algumas pessoas.
Se concluirem seu trabalho sem encontrar alguma irregularidade é como se tivessem fracassado.
E na ára comercial não existe Frei Damião, é de Rita Cadilac pra Baixo.

Eu ainda me mantinha no nível de uma Cafetina, conhecia todas as Putas, tinha a maior aptidão para ser uma delas, mas não dava pra ninguém.

Os auditores invadiram as lojas, eu mesmo fui auditado 2 vezes.
Na primeira vez precisei pagar muito almoço e contar muita piada para este Senhor para que eu não fosse parar na boca do Sapo.

No geral eles eram muito fracos. Não chegavam nem perto das maracutaias do dia a dia.
Nenhum dos meus pares bandidos e marginais foram pegos pela Auditoria e olha que eu torci muito para isso.
Os dias passavam e a impunidade e sacanagem cada vez aumentava mais.
Você trabalhava como um FDP, não conseguia vender de forma digna e um outro gerente marginal batia a meta em 300%, era aplaudido em praça pública, promovido, ganhava Bônus e cachê dos amigos bandidos que ele mantinha relacionamento enquando você rezava para não perder o emprego.

O Nosso gestor na época não era do ramo e não mostrava eficiência para acabar com essa fanfarra.
Em meio a este cenário uma Gerente na Regional teve a idéia de gênio.

Muito antiga na empresa ela sabia tudo de todos e conhecia cada detalhe da operação da qual os auditores deixavam passar batido.

Foi então que voluntariou ajuda para CAÇAR os bandidos da ára comercial.
Bandidos que ainda era seus pares e até o momento ainda seus amigos.

Uma série de visitas de auditores se deu com a presença desta gerente à tira colo e em todos os casos foram levantadas provas suficientes para Demitir o chefe da unidade.

Nesta época então criamos a expressão PAPAGAIO DE AUDITOR.
Diziamos que se fossemos visitado pela Papagaio de Auditor , antes de dizer boa tarde, já poderíamos limpar nossas mesas e colocar tudo na velha caixa de papelão.

Nesta época mais da metade de Gerentes foi demitida, alguns por justa causa.
Papagaio de Auditor foi Promovida e goza até hoje dos maravilhosos feitos à Diretoria conquistados às custas de muito sangue dos próprios pares.

Papagaio de Auditor teve uma idéia genial, uma grande sacada mas mesmo assim não consigo deixar de pensar que na verdade ela foi uma bela de uma Filha da Puta.

Fim de papo.

O TURCA.

sexta-feira, 3 de julho de 2009

LEMBRANÇAS DO TURCA.

Eu passo a escrever agora sobre algumas lembranças que marcaram minha vida até o atual estágio que me encontro.

Como a grande parte de meus amigos é da mesma geração que eu, acredito que poderei repartir esse sentimento com alguns de vocês.
Começarei contando um pouco sobre as MULHERES DA MINHA VIDA.


Não consigo me lembrar exatamente em que momento descobri que o que carregava entre as pernas era diferente da maioria das mulheres, lembro-me apenas quando vi a diferença pela primeira vez.
Foi em uma casa de praia, eu deveria ter uns 4 anos de idade e vi que minha prima de mais ou menos a mesma idade, tinha algo faltando entre as pernas, fiquei curioso e com dó dela pois achava que ela era doente.
Hoje fico mais tranqüilo pois depois que conheci a Judoca Edinanci Silva descobri que nem todas elas tem essa doença.
A primeira mulher que me fez sentir algo diferente era na época era um grande ícone brasileiro, estava em todas as revistas, jornais, programas de TV e rádio. Eu tinha até um pôster dela vestida da cabeça aos pés, mas que me dava um tesão desgraçado.

Ela atendia na época como a " Namoradinha do Brasil" . Eu tinha os mesmos 4 anos.

A primeira garota que eu me apaixonei na vida foi a Thaís eu estudava com ela no pré primário. Ela era linda, delicada e cabelinho de abajur holandês.
Eu dividia a mesa com ela e hora ou outra encostava meu braço ao dela para ver se sentia aquele friozinho na espinha.
Um belo dia ela estava passando mal e vomitou no meu braço. Ela tinha comido macarrão a bolonhesa no almoço. Não sei oque aconteceu depois daquilo que me fez trocar de mesa e nunca mais falar e Olhar para ela até hoje. Aliás, espero que ela já tenha partido dessa para uma melhor.

Quando cheguei nos meus 6 anos, descobri que a XUXA era uma tremenda gostosa, ainda dava para o Pelé, homem bonito e sensual da época. Estava pelada em todas as revistas e uma vez uma prima minha me viu com a revista. Foi uma desgraça e tive que tomar uma atitude rápida, inteligente e eficaz.

Eu disse a ela para jogar fora a revista pois era coisa do Demônio. Eu já tinha aptidão a Pastor.

O problema é que ela jogou mesmo e hoje a revista vale uma fortuna. Fiquei puto. Aliás, ainda estou Puto até hoje.


Um pouco depois veio a época áurea da PLAYBOY, só mulheres espetaculares - MAGDA COTROFE - MONIQUE EVANS e afins.

Magda Cotrofe posou na revista diversas vezes e eu vi todas.


Magda Cotrofe Noivinha
Magda Cotrofe na Selva
Magda Cotrofe contando feijão
Magda Cotrofe limpando o banheiro do buteco


Nessa época era difícil esconder meu amor por elas. Tinha um primo que fazia coleção destas coisas do Demônio que me doou todo seu acervo anos mais tarde.

No início da Adolescência foi a vez de Luciana Vendramini, mulher maravilhosa, garota do Fantástico. Casou com o Paulo Ricardo na flor da idade, ficou louca, sumiu da mídia e jogou a carreira no ralo.

Lembro-me que um pouco antes de atingir a adolescência, comprei minha primeira revista. Ensaiei 3 dias a forma que eu iria falar com o cidadão da Banca.

Quando cheguei lá com as mãos cheias de moedas eu disse apenas :
O TURCA : O Sr. Tem a Playboy ?

O cidadão da Banca tirou a revista, colocou na sacola e deu em minhas mãos. Falou o valor recebeu e continuou olhando para o horizonte.
Notei a partir daquele dia que Cidadãos de bancas de jornal sempre olham para o horizonte.

Fiz uma coleção enorme de revistas, por muito tempo MARA MARAVILHA era a minha preferida.
Hoje está gorda e baixinha se parece muito com um gnomo que canta músicas evangélicas.
Quantas noites mal dormidas para assistir ao cinema nacional, conhecido como SALA ESPECIAL, quem não se lembra da SALA ESPECIAL.

Muita putaria, as atrizes que hoje são as senhoras que pregam a paz, harmonia e bons modos, estavam lá pelos anos 80 de perna aberta imitando um frango assado pra ganhar uns trocos na TV.

Recentemente A apresentadora Luciana Gimenez estava elogiando a própria mãe Vera Gimenez em seu programa.

Os convidados falavam coisas como :
Convidado Escroto - Vera Gimenez é um exemplo para a Juventude.
Convidado Escroto e viado - Vera Gimenez é um mito do cinema nacional
Convidado Escroto, viado e com chapéu de Cowboy - Vera Gimenez merece o prêmio Nobel da PAZ

Engraçado, dois dias depois, coloco na CANAL BRASIL (66) na NET e quem eu vejo lá?

Vera Gimenez pelada de quatro dando pra uns 3 caras ao mesmo tempo em um filme da sessão ( Como era bom nosso cinema ) Que BEEEEEEEEEEEELO exemplo.

Não posso finalizar esse tema sem escrever sobre a maior musa de todas, quem viu nunca esquece, quem não viu morrerá cedo e seco levando uma vida sem graça e sem felicidade e em algum momento dela sentirá vontade de sentar no kibe.

Uma seqüência de filmes de uma personagem chamada EMANUELLE. Eram vários filmes dos quais em cada um deles era uma aventura erótica e trash diferente.
Em um destes filmes conheci a mulher que ficaria gravada em minha mente para sempre. O nome dela era SALOMÉ.
SALOMÉ era uma negra de classifcação AABB da Savana Africana , só se viam os dentes e o branco dos olhos, era meio ladra e piranha. Foi parar nos EUA sei lá porque e quando chegou lá deu do Mordomo até o presidente da república, mas não deu para o único que realmente queria pegar.

Mulher de respeito e personalidade. Ideal para os tempos de hoje.

Ela era demais , as coxas dela eram da grossura dos postes de luz e as nádegas " Bunda" não se movimentavam nem com um choque de um trem bala.
Ela dava na sala, na cozinha, dentro da geladeira em cima do telhado, na cama de faquir ou dentro de um cofre da Filial Patriarca da Fininvest.

SALOMÉ foi a melhor. Salomé sinto sua falta.


Depois disso vieram mulheres superficiais como Viviane Araújo - Sheila Carvalho e hoje me contento com a Halle Barry que já tem 41 anos com corpo de 25. De vez em quando tenho olhares carinhos para a Ana Maria Braga, mas logo vomito sangue e volto ao normal.


Acho que foi isso. Apenas para não esquecer...
... Lá no início do texto. A “Namoradinha do Brasil" era a Regina Duarte. Mas...
... Não quero comentar a respeito. Eu era muito jovem ( 4 anos) e inconseqüente, um verdadeiro marginal.


Fim de papo.


O TURCA
Ocorreu um erro neste gadget